28 abril 2005

25 de Abril sempre!

Ao olhar para trás, não posso deixar de gritar: 25 de Abril sempre!

Quantas recordações do ano da brasa de 74!

A LIBERDADE bateu-nos à porta!


Vale a pena recordar!

23 abril 2005

Diário 8

Inesperadamente
A manhã
Vestiu de azul
Sobre o orvalho
Do teu rosto.
E choveu
O silêncio
Sobre a noite
Gélida d' encontros.

22 abril 2005

Outros tempos, outras artes

Isto hoje já não é o que era. Tudo é mais sofisticado. Os “graffiti’s” pintados a spray estão na moda, mas não são novidade. No meu tempo, já na escola primária a malta abafava uns pauzitos de giz - uns brancos, outros de cor - para fazer algumas pinturas murais, tipo “naïf”, com inocentes declarações de amor.

Qualquer portão, de chapa ferrugenta ou pintado de zarcão que se apanhava a jeito, servia para registar uma primeira jura de amor.

AMO-TE, FÁTIMA. Assim mesmo, dentro de um descomunal coração pintado a rosa, mais dilatado que sei lá o quê, mais parecendo o de um adulto hipertenso do que de um inocente anjinho. A atravessá-lo de forma assassina e proporcional à chama da paixoneta, uma seta, mais flecha do que seta, copiada dos livros do famoso Cisco Kid, herói dos westerns aos quadradinhos. E por baixo, a assinatura do autor: Berto, Tone da Bouça, Quim Russo, Zé Roscas, e sei lá quem mais. O Português era a língua oficial e os nomes portuguesíssimos. O inglês ainda não tinha sido introduzido nos curricula da 3ª classe e não havia as Kátias Vanessas, as Núrias, as Nádias, as Sónias Sandras, a Pitucha, a Kikas, a Náná, and so on. Quem sabia dizer I love you?

Mas voltando ao assunto. Quem nunca teve uma namorada chamada Fátima? A Fatinha da minha escola, filha do Ti Neca do Talho, tinha resmas de apaixonados, a medir pelas inscrições nos portões e nas paredes. Confesso que me derreti por ela. Ela, se calhar, nunca deu por isso. Também não tinha importância nenhuma. Acontecia com todos. E tudo era clandestino, pois se chegasse aos ouvidos da professora, era certo e sabido que apanhávamos um arraial de facho.

A Fatinha do Talho compensava a pouca inclinação para os ditados e os problemas de quatro contas com outros dotes, bem precoces em meninas da sua idade. Dizia-se que saía à mãe e só gostava de putos de olhos “bonitos”. Daí o apetite de numerosos pretendentes pelas cenouras a ver se davam a volta, umas vezes, à pouca arte do criador, outras à falta de água fresca para lavar os olhos remelosos.

Há uns anos vi a Fatinha. Prometeu muito e afinal nada! Estava com o homem à porta do cinema. Pelo cartaz, iam ver um qualquer filme tipo indiano, daqueles que faziam chorar o coração mais empedernido. Pouca sorte a dela. O tipo tinha ares de filho de algum talhante, olhos de coelho com morrinha e usava óculos com lentes que mais pareciam fundos de garrafas de espumante.
Bem feito, Fatinha. Tinhas a mania que eras boa!

21 abril 2005

Diário 7

Entrego-me
Ao tempo que corre
Olhando as gaivotas
Do mar
Feito de ondas
Que me trazem o teu olhar.
Lá longe

Onde o céu se mistura com a água
Cresce o sonho que me faz sonhar!

20 abril 2005

Bento XVI já me consultou

O que dá a fama!!!
Logo que foi empossado Papa, o cardeal Ratzinger não perdeu tempo. Telefonou-me a pedir que lhe "desenhasse" o seu mapa numerológico. Foi o que fiz. E como não lhe cobrei testo, ficava mal, não ficava?, também não me sinto obrigado à confidencialidade.
Para que os fiéis saibam quem é Bento XVI.

19/04/2005 - BENTO XVI - AS INTERPRETAÇÕES DA SUA ANÁLISE NUMEROLÓGICA

A LIÇÃO DE VIDA: 3
O número da sua data de nascimento. O que viemos aprender nesta jornada, assim como as dificuldades a serem superadas.

Aprenda a expressar-se com clareza, pois possui esse dom, quer falando, escrevendo ou representando. Desenvolva a persistência, a firmeza e a tenacidade, procurando seguir as suas intuições. Seja criativo, pois possui boa imaginação e senso de humor, o que muito o ajudará socialmente. Evite dispersar talentos, direccione a sua energia para objectivos firmes e concretos. Desenvolva o senso de responsabilidade. Não seja impaciente nem crítico demais.

A SUA ALMA: 2
Os sentimentos mais profundos, o que nos motiva, as experiências e informações acumuladas para lidarmos com esta encarnação.

Pessoa sensível, emotiva, amável, mas que se magoa com facilidade. Prefere seguir a liderar. Refinada, agradável, amante da paz e procurada como ombro amigo. Deve evitar tendências à auto-anulação, indecisão e insegurança. Não faça promessas que não poderá cumprir. Cultive um propósito.

A SUA APARÊNCIA: 1
O nosso eu exterior ou a impressão que causamos aos outros. Como somos julgados à primeira vista.

Aparenta independência, poder, liderança e coragem. Trata-se de uma pessoa imponente, original, perfeccionista, correcta e criativa, tendendo ao autoritarismo e que gosta de ser notada e apreciada. Pode ganhar peso com a idade.
Dica: Usar cores claras.

O QUEVOCÊ É: 3
Todas as letras que compõem seu nome.

A jovialidade, alegria e popularidade estão muito presentes nos ambientes que frequenta. É uma pessoa dotada de grande talento para se expressar, quer falando, quer escrevendo ou ainda em qualquer área de comunicação, pois possui elevada criatividade. Sabe fazer-se admirar pois está sempre bem informado. De caráter franco e leal, aprecia estar com o "rebanho" e não se aborrece com facilidade. Possui força de vontade e muita determinação. Facilidade para ganhos.
Dica: Não desperdice talentos e supere as eventuais críticas. Tenha sempre um objectivo.

O DESEJO INSTINTIVO: e
A primeira vogal do nome mostra os nossos impulsos emocionais e como reagimos diante de estímulos externos. Descubra como reagem aqueles (as) que ama.

Deseja a liberdade acima de tudo. Age com impulsividade e mantém-se ansioso em quase todas as mudanças que, aliás, é o que mais gosta de fazer. O inesperado agrada-lhe muito. Não suporta rotinas rígidas e adora fazer várias coisas ao mesmo tempo. Nunca está satisfeito com o que tem e está sempre em busca de novidades.
Conselho: Seja versátil, faça surpresas, apareça de repente sem avisar.

O SEU NÚMERO DE PODER: 6
Todas as letras que compõem seu nome, mais a sua data de nascimento. Essa vibração ajuda na aprendizagem da nossa missão ou lição de vida. Aquilo que você acertou com a Divindade antes de nascer. Funciona como um farol dirigindo nossa vida.

Tem o poder da conciliação, bondade e equilíbrio; é excelente mediador podendo ser o grande pilar da harmonia principalmente junto do "rebanho" de Deus.

Ficou entusiasmada?! Quer uma consulta personalizada? Envie-me um e-mail.

O Signo do Papa Bento XVI

Confesso que acredito piamente na Astrologia. É verdade!
Considero-a uma verdadeira ciência. À falta de melhor maezinha para nos guiar os passos e nos mudar as fraldas [há pr'aí muitos "adultos" que continuam a gozar o supremo prazer de usar fraldas], os horóscopos sempre antecipam o futuro e deixam sempre o conselho maternal de como fazer. Ok, mas adiante que o caldo está ao lume e pode torrar.

Fomos então consultar o Oráculo e ler os astros. Qual o signo de Bento XVI [ex-Cardeal Ratzinger]?

Nascido a 19 de Abril de 2005, Bento XVI é do signo Carneiro. Por seu lado, o Cardeal Ratzinger, nascido a 16 de Abril, também é Carneiro. Que mistura explosiva!

Segundo o horóscopo cigano, Bento XVI e Ratzinger são do signo Punhal.
O Punhal é a imagem da luta e vontade de vencer. Pessoa irrequieta, firme e dona de si mesma. Ousada, tem uma personalidade forte e odeia ser subestimada. Quando isso ocorre, torna-se agressiva. Gosta de ter os outros na mão e de ser bajulada. Quando precisa, também sabe bajular para atingir os seus objectivos mais inconfessáveis. Alimenta e alimenta-se do "diz-se que disse". Tanto dá com uma mão, como tira com a outra.


E o que diz a Numerologia de Bento XVI?
Então aqui vai.
O número pessoal de Bento XVI para 2005 é o 3.
Comunicação, criatividade e magnetismo.
Ano favorável para contactos com pessoas influentes. A sorte bater-lhe-á à porta.

Isto é só um cheirinho sobre o Papa que vamos ter daqui para a frente.

19 abril 2005

Habemus Papam

O cardeal Ratzinger foi eleito Papa. [Para mais informação click sobre a frase pintada de azul].

Fiquei de alguma forma frustrado. Esperava outra coisa.

Adoptou o nome de Bento XVI e as primeiras palavras que proferiu acabam por ser de alguma surpresa: "Queridos irmãos e irmãs, depois do grande Papa João Paulo II, os cardeais elegeram-me - um simples e humilde trabalhador das vinhas do Senhor", disse.

Ora diz-se para aí à boca cheia que o negócio do Vaticano é o petróleo. Pura mentira. Pela boca de Ratzinger, e ele sabe do que fala, ficou agora a saber-se que o negócio é o vinho. Habemus confitentem reum [Temos a confissão do réu]!

Os vinhateiros do Douro e do Alentejo já se preparam para o homenagear. Podia o vinho ter melhor embaixador?

Vivó Papa!

18 abril 2005

RELAX - Uma mina na crise

As sociedades de hoje são sociedades extremamente competitivas que exigem dos seus membros cargas de trabalho que estão, na maioria dos casos, muito para além da resistência normal, física e psíquica, do comum dos mortais.

A agitação permanente, as bichas intermináveis de trânsito, a sinfonia do telemóvel, a letra que foi para protesto, os cheques carecas, os processos de reengenharia, a lei das quarenta horas, os projectos de investimento chumbados, o trabalho de casa (sempre no escritório até altas horas da madrugada), os opíparos jantares com potenciais clientes ou parceiros de negócios chorudos, uma cara-metade que ultrapassou o prazo de validade, são tudo factores que deixam executivos e empresários à beira de um ataque de nervos permanente. A vida desta gente é um verdadeiro inferno.

Tenho para mim que este grupo sócio-profissional é um grupo de alto risco e terreno fértil para a proliferação das designadas doenças modernas - stress, ataques cardíacos, impotências funcionais de vária ordem, distúrbios psíquicos, etc., etc..

Ora, numa sociedade em que a paranóia da qualidade de vida, abrangendo todas as áreas da vida de relação de um ser humano, está definitivamente instalada, fácil é concluir que aquele grupo constitui um verdadeiro nicho de mercado para negócios de elevado potencial de rendimento. E a verdade é que estas oportunidades vieram determinar iniciativas empresariais do mais variado tipo e em crescente desenvolvimento. É um mercado altamente rentável e em que a máxima é: qualidade de serviço e satisfação total do cliente.

Numa fase ainda incipiente de todo este processo, o normal era o recurso a fármacos da família dos ansiolíticos e dos anti-depressivos, o recurso a psicólogos, psiquiatras e psicanalistas e, mais tarde, a ida ao ginásio e à piscina, uma partida de ténis ao fim-de-semana ou um torneio de golfe. Mais recentemente, parece que se chegou à conclusão que todos aqueles meios, embora pudessem ter algum efeito benéfico, ficavam muito aquém da terapia adequada.

Eis que surge então um novo tipo de oferta, designado pelo mercado do “Relax”.

Basta abrir um qualquer jornal diário de grande tiragem nacional, ou até mesmo regional, folheá-lo de fio a pavio, e ao desaguar na página de anúncios classificados, encontramos a curiosa secção de “RELAX”.

Anúncios curtos, mensagem eficaz, descrição rigorosa do serviço, bem dirigidos, cumprindo com a fórmula mágica da publicidade : Atenção, Interesse, Desejo e Acção, o essencial da comunicação com potenciais clientes.

Passemos então à análise do perfil da oferta, nos oitenta e quatro anúncios publicados num dos tais jornais e que, por razões óbvias, omito o respectivo título.

Serviço: Massagens

1. Género predominante no exercício da profissão: Feminino. (Só registamos 2 elementos masculinos).

2. Escalão etário das Massagistas: 18 -24 anos, 95%; Superior a 24 anos, 5%.

3. Atributos das Massagistas: Meigas e muito gostosas: 65%; Mulheres de Sonho: 17%; Sedutoras: 8%; Bonecas: 7%; Gatas ou gatinhas: 3%.

4. Características físicas das Massagistas: 1,70m ou mais: 80 %; Pt. 42: 67%; Olhos verdes: 42%; Olhos azuis: 37%; Morenas: 54 %; Louras: 32%; Tropicais/Brasileiras/Mulatinhas: 53%.

5. Local da Prestação dos serviços: Ápartamento Próprio: 95%; Domicílios e Hotéis: 5%;

6. Horário: Serviço 24H: 87%; 10/24H: 8%; Só noites: 5%.

7. Forma de pagamento: Cartão de crédito, cheque ou “cash”. Não há fiados.

8. Público-alvo: Solitários/Executivos de 1ª linha/Homens de negócios/Casos perdidos para a psicologia, psiquiatria e psicanálise. Essencial: Ter gravetame que se veja.

9. Meio de contacto: Telemóvel: 100%.

10. Outras referências: 10% deslocam-se a qualquer ponto do país. A esmagadora maioria trabalha os mercados de proximidade ou locais.

11. Bónus: 37% das ofertas referem o recurso a meios auxiliares de terapia – massagens relaxantes, vídeos, cintas, and so on; 70% dão 2ª oportunidade e há mesmo quem ofereça 3ª. Ou seja, não pegou à primeira, pega à 2ª ou à 3ª. Ou então, sangria completa do óleo até o depósito ficar limpo.

Finalmente, falemos da importância económica do sector do Relax.
Para que se possa ter uma ideia da importância económica deste sector, consultei um “expert” neste tipo de mercado que me adiantou que o volume de negócios/dia, realizado pelo universo dos 84 anúncios analisados, situar-se-á nos 100.000 Euros, sem que daí resulte qualquer receita fiscal. Este é o busílis da questão – evasão fiscal.
Mas por outro lado, o volume de emprego assegurado, para aquele nível de volume de negócio, andará na casa dos 100 postos de trabalho.
E para quem chegou até aqui e não dê por mal empregue o tempo que perdeu a ler esta treta, registe que este é um dos exemplos a que os economistas e políticos chamam de economia informal. Para explicar uma coisa tão simples, porque não falar de coisas que o povo entende e gosta? Percebeu-se agora todo o meu esforço, não se percebeu?
Obrigado!

15 abril 2005

"Directas" para Papa no próximo Concílio

Influenciados pela vaga das "directas" que varre os dois maiores partidos portugueses, os Cardeais do Colégio Cardinalíceo ponderam seriamente seguir a experiência portuguesa.
Há vozes que vão exigir ao próximo Papa a convocatória de um Concílio para que o processo seja contemplado. Assim, os católicos de todo o mundo serão chamados a eleger o chefe máximo da sua Igreja através de voto secreto e universal.
Este é o próximo passo da Renovação e da Revolução.
Pela 1ª vez na História da Humanidade, o Mundo irá partilhar a experiência do voto transnacional.
Desde a recôndita Patagónia à mais cosmopolita aldeia transmontana, o princípio de cada cabeça um voto vai ser uma realidade.
A Compta, empresa que trabalhou para o Ministério da Educação na colocação dos professores, vai apresentar ao Vaticano uma proposta para resolver o problema da votação através do voto electrónico.
Segundo um responsável da empresa, "esta é uma janela de oportunidade para a sua internacionalização, depois do bom trabalho realizado para o Ministério da Educação.".
Ao que se sabe, a Compta tem já preparado um dossiê de apresentação, com uma carta de recomendação do ex-Ministro da Educação, David Justino.
Círculos próximos do Vaticano admitem que a candidatura da Compta será muito forte e fará a Microsoft pensar duas vezes.
Bill Gates já nem dorme!

14 abril 2005

Diário 6

Faz-se noite.
Esconde-se a lua
E solta-se o luar
Do teu olhar!

Se descodificares, dou-te um doce!

Pois é amigas e amigos! Nem sempre é fácil descodificar discursos correntes, mesmo em português escorreito.

O Bino Talhante anda por aí a vender azeite às canadas, não porque vende cuia e compra cabaça, mas porque vendeu a manta. Diz-se à boca cheia que o Tone Barbicha, que é de Braga e chama-se Lourenço, tirou o cabaço à dita cuja e o Bino, que sai ao pau da racha, ficou mamado. Como diz o povo, quem está no ripanço arrisca-se a cotovio.
Moral da história: Quem se mete com cóias, está quilhado!

Não percebes? Queres legendas ou preferes dobrado?
Teletexto, pág. 535.

Isto é um País de "empreitas"


A "linguagem do betão" chegou a todo o canto e esquina. Na política, então, é mato.
Veja-se como é empregue a esmo a palavrinha "pilar"!
"Pilar" é, nem mais nem menos, uma "coluna que sustenta uma construção".
Mas não há discurso político digno de nota que não seja polvilhado, e bem polvilhado, com "pilares".
Veja-se: "Os três pilares da democracia...", "as nossas políticas sociais assentam em três pilares ...", "os três pilares que sustentarão as nossas reformas estruturais...", etc., etc..
É a típica linguagem dos "empreitas" invadindo a política. E é chic, pois claro.
Depois não se admirem de haver por aí muitas cabecinhas cheias de areão!

A juntar a este original discurso, outra das curiosidades que tenho notado é o número de pilares que é referido! Geralmente são sempre três. Porquê, essa fixação nos três? Será que os três assumem assim uma importância tão decisiva? Sem os três as coisas não funcionam? Alguém sabe explicar? E mais não digo, senão ainda me acusam de linguarudo.

12 abril 2005

As despedidas à Santana

Santana sem nada para dizer ao Congresso Laranja, enrolou quanto pôde, para, no primeiro discurso, anunciar solenemente: "Vou andar por aí.". E se Deus quiser até vai. A menos que faça como o Portas.

Não satisfeito e porque terá percebido que os laranjas não o perceberam, volta à carga numa segunda intervenção.
Blá, blá, trréu-péu-péu...pardais ao ninho e lá vai dizendo que nunca se despede dos filhos, que nunca os leva à estação do combóio ou ao aeroporto, etc. e tal, para concluir afinal que não gosta de despedidas.

E termina desta forma eloquente: «Detesto despedidas e, por isso, nunca me despeço. Até amanhã, se Deus quiser.»
Até amanhã, Santana. A malta nunca se despede. É despedida.

11 abril 2005

De Eugénio de Andrade...


ADEUS

Já gastámos as palavras pela rua, meu amor,
e o que nos ficou não chega
para afastar o frio de quatro paredes.
Gastámos tudo menos o silêncio.
Gastámos os olhos com o sal das lágrimas,
gastámos as mãos à força de as apertarmos,
gastámos o relógio e as pedras das esquinas
em esperas inúteis.
Meto as mãos nas algibeiras e não encontro nada.
Antigamente tínhamos tanto para dar um ao outro;
era como se todas as coisas fossem minhas:
quanto mais te dava mais tinha para te dar.
Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes.
E eu acreditava.
Acreditava,
porque ao teu lado
todas as coisas eram possíveis.
Mas isso era no tempo dos segredos,
era no tempo em que o teu corpo era um aquário,
era no tempo em que os meus olhos
eram realmente peixes verdes.
Hoje são apenas os meus olhos.
É pouco, mas é verdade,
uns olhos como todos os outros.
Já gastámos as palavras.
Quando agora digo: meu amor,
já se não passa absolutamente nada.
E no entanto, antes das palavras gastas,
tenho a certeza
de que todas as coisas estremeciam
só de murmurar o teu nome
no silêncio do meu coração.
Não temos já nada para dar.
Dentro de ti
não há nada que me peça água.
O passado é inútil como um trapo.
E já te disse: as palavras estão gastas.
Adeus.

O Fumo Branco de Pombal

Tal como previ aqui, o Luís saíu "Papa" em Pombal. A tribo dos "cardeais" fez-lhe o jeito, mas deixou um aviso com prazo de validade.
Agora o Sócrates que se cuide. Vai ter oposição de tacão alto. Sempre acrescenta alguma coisa aos 150 cm.
Expectativas? Vamos ver, como diz o cego.

09 abril 2005

A Fama do Senhor dos Anzóis

É uma autêntica loucura no Extremo Oriente! Os clubes de fãs multiplicam-se como cogumelos. Chinocas, Japonocas, Tailandocas, Filipocas...dão em doidas. Pudera!

A Federação Internacional de Fãs de Olhos em Bico mandou-me uma mensagem muito ternurenta e que me turbilhou emocionalmente. É pena não poder reproduzi-la aqui.

A beleza de sentimentos explicitamente declarada não tem paralelo na cultura ocidental. Só a sensibilidade oriental é capaz de tamanha elevação estética e poética.
Confesso que não tenho palavras para retribuir [vinha a ler as Páginas Amarelas no autocarro e deixei-as lá].
Resta-me dizer OBRIGADO!

O Futuro de Santana Lopes

Não foi preciso consultar qualquer oráculo ou as estrelas.

"Não vou ficar aqui. Vou andar por aí.", Santana dixit.

Cá te esperamos nas Docas, na Kapital, no Barco do Amor..., camarada! Já agora, não arranjas alguns colinhos de Famalicão para umas farras? Também podem ser bacanais! A malta agradece.

08 abril 2005

O Conclave Larange

Começa hoje em Pombal o conclave dos laranjas. Pombos e pombinhas vão chocar o ovo de que sairá o Pombo-Mor.
A liturgia seguirá os cânones tradicionais. Haverá as homilias do costume pelos "irmãos" maiores e menores da "congregação".
O momento alto, a chamada catarse, será o cerimonial de excelência. A verdadeira terapia de choque aplicada aos traumatismos recalcados. A penitência será proporcional à gravidade dos pecados cometidos. Esperam-se "excomunhões"!
Dois "sacerdotes" vão-se submeter ao sufrágio do rebanho. Luís Marques Mendes e Luís Filipe Menezes foi o que se arranjou. A maioria espera a terceira via sebastiânica.

O Patrocínio e o Apoio

Já se sabe que Marques Mendes não vai usar sapatos de tacão alto. Tem o patrocínio das Páginas Amarelas: Meia dúzia de Listas Telefónicas. E resolve-se um dos problemas. Os queixos do "minorca" ficarão 5 cm. acima do púlpito, facilitando a audição aos que se sentam para lá do meio da sala.

Filipe Menezes tem o apoio de Pinto da Costa. Mau augúrio! Espera-se que chore na sessão de encerramento. "Lágrimas de Crocrodilo", sonata para violino e flauta. Segue-se o hino "Victis Honor!", cantado pelo maralhal num registo pop-rock.

Domingo, dia 10

Ganhou o Luís. Tudo na mesma no laranjal! É a debandada dos pombos e pombinhas.
Esperam por Cavaco, o Salvador. Prometem trabalho duro nas Presidenciais.
E siga o baile!

06 abril 2005

Diário 5

Do outro lado de mim
Solta-se a palavra
Silenciosa
À espera da voz
Do teu olhar.

Combata as suas Inseguranças

É verdade que sente que tem algumas inseguranças e que isso perturba o seu dia-a-dia?
Vamos tentar minorar essa situação através de um um exercício que deverá ser feito ao acordar e ao deitar pelo tempo que for necessário, até sentir resultados palpáveis.
Claro que também o pode fazr todas as vezes que se sentir inseguro(a), durante o dia ou nas noites de insónia.

Como realizar o exercício?

Sente-se confortavelmente, feche os olhos e coloque as palmas das mãos sobre as suas coxas. Respire profundamente, retendo a respiração por alguns segundos, três vezes antes de começar o exercício. Relaxe!
Comece por concentrar-se na intenção do exercício, que vai durar apenas poucos segundos.

Imagine-se num belíssimo relvado verde, cheio de árvores frondosas e floridas, e veja na sua frente um grande rio passar mansamente sobre um leito de areia branca e fina.
Decida que quer atravessar o rio, porque, do outro lado existe um belo jardim florido e multicolor e com um perfume inebriante. Um perfume que você muito aprecia! Sinta esse cheiro intensamente e decida-se a atravessar o rio.
Isso representa a mudança que tem de ser feita em sua vida.
Respire uma vez profundamente e veja surgir sobre o rio uma ponte forte e segura, por onde você passará com passo firme e decidido.
Veja-se atravessando a ponte e, ao chegar ao meio, pare e reviva ou imagine os sentimentos de insegurança que tem vivenciado. Olhe para o rio que corre debaixo dela e lance ou imagine-se a lançar esses sentimentos para as águas, como se fossem fardos pesados que carrega interiormente. Olhe-os a desfazerem-se nas águas correntes do rio e a serem levados por esta. Retenha fortemente na sua mente esta imagem de conforto que este momento lhe proporciona. Que alívio!
Então recomece a andar sobre a ponte e imagine-se chegando triunfante ao outro lado do rio. Respire fundo e diga mentalmente, e por 3 vezes, com firme convicção para si: “Por saber o que quero tenho o poder de realizar tudo nesta vida”.
Abra agora vagarosamente os olhos.

Nota: A frase que vai repetir para si no final do exercício é importante porque se trata de uma frase de reprogramação da sua mente. Sinta o momento com muita decisão e firmeza.

Fique bem!

05 abril 2005

Diário 4

Não foras tu
E anoitecia
Anoitecia
Anoitecia...

Medite! É simples e ajuda.

A Meditação é uma técnica simples que permite desencadear um estado de relaxamento profundo do corpo e da mente, levando a um estado de consciência mais profundo e tranquilo.

Antes de começar, encontre um local calmo que lhe permita não ser pertubado.

Sente-se e feche os olhos.
Concentre-se na respiração, mas inspire e expire normalmente. Não tente controlar ou alterar a respiração deliberadamente. Apenas observe.
Ao observar a respiração, vai ver que ela muda. Haverá variações na velocidade, no ritmo e na profundidade. Não tente provocar nenhuma alteração. Novamente, apenas observe.
Pode ser que você se desconcentre de vez em quando, pensando em outras coisas ou prestando atenção aos ruídos exteriores. Se isso acontecer, desvie a atenção para a respiração. É importante que mantenha/exercite a concentração.
Se durante a meditação você perceber que está a "desviar-se" para algum sentimento ou expectativa, simplesmente volte a prestar atenção à respiração.
Pratique esta técnica durante quinze minutos. No final, mantenha os olhos fechados e permaneça relaxado por dois ou três minutos. Saia do estado de meditação gradualmente, mexendo as mãos e os pés e vá abrindo os olhos.

Comece desta forma simples a prática da meditação uma vez por dia, de manhã ou no final da tarde. Se estiver irritado(a) ou agitado(a), pode praticá-la por alguns minutos durante o dia para recuperar o equilíbrio.

Na prática da meditação você pode passar por três experiências. O que não deixa de ser normal. Simplesmente aceite o facto e verá que com o treino vai melhorar o seu exercício.

1. Você pode sentir-se entediado(a) ou inquieto(a), e a sua mente encher-se de pensamentos. Isso significa que emoções profundas estão sendo libertadas. Se relaxar e continuar a meditar, vai eliminar essas influências do corpo e da mente.

2. Você pode cair no sono. Se isso acontecer durante a meditação, é sinal de que você anda a precisar de mais horas de descanso. A mim acontece-me muitas vezes.

3.Você pode entrar no intervalo dos pensamentos... além do som e da respiração.
Se descansar o suficiente, mantiver o equilíbrio e praticar todos os dias a meditação, você vai conseguir um contacto significativo com o self. Vai poder comunicar com a mente cósmica, a voz que fala sem palavras e que está sempre presente nos intervalos entre um pensamento e outro. Essa é a sua inteligência superior ilimitada, o seu génio supremo e verdadeiro, que, por sua vez, reflete a sabedoria do universo. Tudo estará ao seu alcance se confiar na sabedoria interior.


Hei-de voltar ao tema, com outros exercícios simples de relaxamento e meditação. Pratique e verá como tudo vai melhorar. Fique em PAZ!

03 abril 2005

Diário 3

Há momentos de felicidade
Que me fazem viver,
Que me fazem respirar!
Como o dia em que os meus olhos
Conheceram o teu olhar!

Entrevista de Teresa Patrício Gouveia à "Pública"

Vale a pena ler a entrevista de Teresa Patrício Gouveia à revista "Pública" de hoje. Se a posso classificar, heresia minha!, dou-lhe *****.

Só um cheirinho do muito que ela disse, em que releva uma serenidade que nos conforta...

"Sinto que tive muitas encarnações. Mas sempre eu.".

"Os portugueses não podem viver em doença bipolar, com picos de euforia e fossas de depressão que quase nunca correspondem à realidade concreta.".

"Nunca nada está garantido. Tudo tem que ser permanentemente reconquistado, desde a democracia até à nossa própria vida.".

"A palavra felicidade é muito pesada.".

Foi casada com Alexandre O'Neill, um dos dos nossos maiores poetas contemporâneos. Dele diz: "Foi das pessoas mais livres que eu conheci. E isso também lá está [na poesia].".

Concluindo: Esta Mulher não precisa da muleta das quotas.

De Gabriel Garcia Marquez

Carta aos amigos

"Se por um instante Deus se esquecesse de que sou

uma marionete de trapo e me presenteasse um fragmento
de vida, possivelmente não diria tudo o que penso
mas em definitivo pensaria tudo o que digo.
Daria valor as coisas, não pelo que valem, senão
pelo que significam. Dormiria pouco, sonharia mais,
entendo que por cada minuto que fechamos os
olhos, perdemos sessenta segundos de luz.
Andaria quando os demais se detêm, despertaria
quando os demais dormem.

Escutaria quando os demais falam, e como

desfrutaria um bom sorvete de chocolate! Se
Deus me obsequiasse um fragmento de vida, vestiria
simples, me atiraria de bruços ao sol, deixando descoberto,
não somente meu corpo senão minha alma.
Deus meu, se eu tivesse um coração, escreveria meu
ódio sobre o gelo, esperaria que saísse o sol.

Pintaria com um sonho de Van Gogh sobre as
estrelas um poema de Benedetti, e uma canção
de Serrat seria a serenata que lhes ofereceria à
lua. Regaria com minhas lágrimas as rosas, paras
entir a dor de seus espinhos, e o encarnado beijo
de suas pétalas...

Deus meu, se eu tivesse um fragmento de vida... Não
deixaria passar um só dia sem dizer as pessoas que
quero, que as quero. Convenceria a cada mulher ou
homem de que são meus favoritos e viveria enamorado
do amor. Aos homens lhes provaria quão equivocados
estão ao pensar que deixam de enamorar-se quando
envelhecem, sem saber que envelhecem quando
deixam de enamorar-se! A criança lhe daria asas,
porém lhe deixaria que sozinho aprendesse a voar.

Aos velhos lhes ensinaria que a morte não chega com a velhice
senão com o esquecimento.

Tantas coisas tenho aprendido de vocês, os
homens... Tenho aprendido que todo o mundo quer
viver no topo da montanha, sem saber que a
verdadeira felicidade está na forma de subir a
escarpa. Tenho aprendido que quando um recém
nascido aperta com seu pequeno punho, pela primeira
vez, o dedo do pai, o tem apanhado para
sempre. Tenho aprendido que um homem só tem
o direito de olhar a outro com o olhar baixo quando
há de ajudar-lhe a levantar-se. São tantas coisas as
que tenho podido aprender de vocês, porém realmente
de muito não haverão de servir, porque quando
me guardarem dentro dessa mala, infelizmente
estarei morrendo"