27 abril 2010

Moments

[01]
Atravessou a rua sem eu dar por ela.
Subiu o passeio do jeito que sempre o fez.
Quando a vi, tornei-me invisível.
Há reencontros que não podem nunca acontecer.


[02]
arrisquei a ideia de um dia
fazer amor com a Adília Lopes
[aquela que se arrisca a ser a minha poetisa de cabeceira].
só arrisquei a ideia, juro,
porque ela não acha piada nenhuma
a coisas tão sem importância,
se bem a conheço daquele poema
em que abomina o sexo ridículo.


[03]
voltei a ela
quando o combóio a largou
no cais da Piedade.
Um sítio que nada nos diz
e a ela muito menos
excepto quando me pediu
para a levar a um qualquer lugar
onde fosse feliz
nem que o fosse por breves segundos.
hoje descobri o nome dela
no jornal da vida:
tinha sido violentamente sovada
e violada.
à solta continua impune
o monstro.
Enviar um comentário