26 outubro 2005

As aves estão em luta

A Secção Portuguesa da Associação Internacional das Aves Excursionistas, reunida no pombal da Catrina, emitiu um comunicado em que protesta contra a calúnia e a discriminação negativa de que estão a ser alvo por parte das autoridades sanitárias e em particular pelo governo português no que respeita à gripe das aves. A dado passo referem:
"1. Somos aves excursionistas e não migratórias, termo preconceituoso e racista com que os humanos pretendem denegrir a nossa imagem enquanto espécie.
2. Sentimo-nos vítimas de uma gripe e não agentes, pelo que declinamos qualquer responsabilidade numa hipotética pandemia.
3. Exigimos a pesquisa, desenvolvimento, produção e distribuição de uma vacina a todas as aves em risco de contrair o vírus H5N1, financiada pelos governos e pela OMS.
4. Que sejam disponibilizados de imediato pombais em condições de receber aves infectadas, com poleiros individuais, e pessoal médico e paramédico especializado em doenças infecto-contagiosas.
5. Caso não sejam, de imediato, tomadas medidas, as aves de todo o mundo encetarão formas de luta radicais que podem passar por:
5.1. Manifestações aéreas sobre as principais cidades europeias e mundiais e defecação em massa sobre as praças, parlamentos e sedes de governo.
5.2. Ocupação dos principais aeroportos, provocando o maior entupimento do tráfego aéreo jamais visto.".

Especialistas na matéria garantiram ao Senhor dos Anzóis que os prejuízos seriam incalculáveis quando comparados com os custos de desenvolvimento e produção de uma vacina, como reivindicam as aves.

Ao tomar conhecimento do comunicado através da Embaixada em Lisboa, George Bush pediu já uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU e teme que, a concretizar-se a ameaça, estajamos à beira duma verdadeira revolução à escala mundial, bem pior que a ameaça dos bolcheviques em 1917.

Na Assembleia da República, "Os Verdes", que têm um ódio de morte aos humanos, já declararam a sua incondicional solidariedade e apoio ao comunicado.

Sem comentários: