21 dezembro 2011

Ei-lo que parte

Esta é mais uma história, entre tantas outras, de mais um português que decidiu seguir o conselho do governo. Saíu da sua zona de conforto e meteu pés ao caminho à procura de um emprego de primeiro-ministro num qualquer país de 5ª categoria, a partir de baixo. Pedro, de sua graça, foi empregado de um conhecido ex-político e empresário português, Ângelo Correia e vê-se agora empurrado para outras paragens para ganhar o pão que o diabo amassou. Aí vai ele, mais a sua mala de cartão. Boa sorte, Pedro. Hás-de regressar um dia, se Deus quiser!
Enviar um comentário