31 julho 2006

E se D. Afonso Henriques não é filho de D. Teresa?

Bom, era o fim da macacada, digo eu.
É que apesar da recusa do nosso 1º Rei em se submeter ao teste do ADN [ver notícia anterior sobre este tema], nada nos garante que a equipa de investigadores não o faça à sucapa.
Daí o nosso recurso a personalidades de mérito reconhecido - o Prof. José Hermano Saraiva e o Dr. Nuno Rogeiro - para nos responder à pergunta que titula este modesto texto.
Ficamos estarrecidos com as respostas e mais com, as mais que prováveis, consequências.
1. A História de Portugal terá de passar à História e a literatura publicada deve ser retirada de bibliotecas e de circulação. O Prof. Saraiva diz que lhe vão dar cabo do negócio e não sabe como vai viver.
2. A Santa Sé, através de Decreto Papal de Bento XVI, pode retirar-nos a Independência que nos foi outorgada por Inocêncio II em 1143. Portugal poderá pedir a devolução das onças d' ouro pagas por D. Afonso Henriques que irão direitinhas para um fundo público destinado a pagar a dispensa negociada de funcionários públicos.
3. O Estado Espanhol, reivindicando-se herdeiro dos Reinos de Castela e Leão, poderá pedir, junto da ONU, a anulação do Tratado de Zamora e a "anexação" do ex- Condado Portucalense com o estatuto administrativo de paróquia, uma vez que lá não existe a freguesia.
4. Todas as vitórias conseguidas por Portugal contra os Castelhanos por D. Afonso I e seus sucessores serão anuladas e atribuídas ao adversário. Vai-nos custar engolir Aljubarrota, lá isso vai.
5. A ONU deverá condenar e estabelecer sanções contra Portugal porque D. Afonso invadiu os territórios a sul do Douro na posse dos mouros, sem qualquer resolução do Conselho de Segurança que lhe desse cobertura legal. As terras terão de ser devolvidas aos muçulmanos que já escolheram o Irão como "cabeça-de-casal" para tratar do assunto por via legal. O embaixador iraniano em Lisboa assegura que a via "diplomática" é a mais aconselhável, porque não estão dispostos a gastar mísseis com os chaparros alentejanos. Valha-nos isso! É que nós não temos os Patriot, porque os israelitas estão a gastá-los todos.
6. Os "lampiões" e os "lagartos" perdem todos os campeonatos da 1ª Divisão, porque não podiam jogar na Liga Portuguesa, mas sim na marroquina.
7. À luz do Código Civil português, D. Teresa fica proíbida de chamar filho a Afonso Henriques e este de chamar mãe a D. Teresa. Para já o Conde D. Henrique é uma carta fora do baralho e, até prova em contrário, continuará a ser o pai do filho dele.
Entretanto, mais uma vez conseguimos o "furo" jornalístico que o Expresso e o Público há muito ambicionam.
O MAQUIAVEL & J.B. sabe de fonte seguríssima que Freitas do Amaral foi convidado pelo embaixador do Irão para defender os interesses do "mundo islâmico" nesta "cruzada ao contrário". Freitas está a reflectir, mas antes de tomar qualquer decisão irá passar as projectadas férias que tinha marcado com Condoleezza Rice, a sexy secretária de Estado norte-americana.
Mas a melhor é que Bush, Aznar, Blair e o José Manuel Barroso já se ofereceram ao representante de D. Afonso Henriques, o escritório de advogados de José Júdice, para testemunhar a favor do nosso 1º Rei, caso lhe seja movido algum processo em qualquer tribunal penal internacional. Com uma ressalva de peso: o tribunal não pode estar em território muçulmano, porque são uma espécie de pessoas que não se dão em climas hostis.

30 julho 2006

D. Afonso Henriques tá chateado

com toda a trapalhada à volta da exumação dos seus restos mortais. Já fez saber, através do seu representante legal - o escritório de advogados de José Júdice, que não permitirá qualquer análise do seu ADN, embora não se importe que lhe façam outros testes e TAC's, desde que sejam pagos pelo Serviço Nacional de Saúde.
"Não é agora que irão saber quem é a minha mãe. Era o que faltava. Isso só a mim poderia interessar. Mas realmente estou-me nas tintas para essa m****", confidenciou o nosso primeiro rei, meio passado, a um grupo restrito de amigos, entre os quais se encontrava o MAQUIAVEL & J.B..
"Exumem mas é essa múmia da Ministra da Cultura, a ver se faz alguma coisa. E não me chateiem mais, senão isto ainda vai dar para o torto", continuou D. Afonso em tom ameaçador e já com a espada desembainhada.
O Primeiro-Ministro, José Sócrates, para safar as costas da Ministra da Cultura, já fez chegar ao advogado José Júdice um pedido de reunião urgente com D. Afonso Henriques, logo que este seja exumado. Desconhece-se a agenda da reunião, mas não andará muito longe da que foi realizada com Joe Berardo. O gabinete de José Sócrates admite que este apresentará um pedido de desculpas a D. Afonso Henriques e que lhe irá pedir que tenha calma e, sobretudo, muita paciência.
Dado que o imbróglio já se arrasta há mais de 15 dias, em nota chegada hoje à redacção de alguns meios de comunicação especializados, D. Afonso Henriques admite, e citamos, "transferir o túmulo do Mosteiro de Santa Cruz em Coimbra para o Louvre e pedir a exumação dos restos mortais em França, porque quer colaborar com a História".
Aguarda-se, à hora dos telejornais, uma reacção de José Sócrates a partir da piscina de S. Bento que, é preciso não esquecer, foi mandada construir por Cavaco Silva quando era primeiro-ministro.

Não pode ser!

Estou mesmo muito apertadinho.

29 julho 2006

Comparticipações da ADSE: a tradição já não é o que era!

A D. Mimi, a minha vizinha do 3º Dto, veio-me com a novidade.
-
Ó vizinho, já sabe que os óculos vão deixar de ser comparticipados pela ADSE?
Claro que não sabia. E como não há fumo sem fogo, tratei de me informar, porque a ignorância não aproveita a ninguém e tem sido a mãe de muitas desgraças.
Pois não é que até parece que é verdade!
Segundo consta, o Ministro da Saúde, acompanhado pelo Ministro da Economia, terá afirmado, numa das últimas noites de copos no Frágil, que «a economia portuguesa está a recuperar de forma lenta, mas sustentada [o que Manuel Pinho confirmou, acenando com a cabeça], e portanto já não são precisos óculos para se ver a "luz ao fundo do túnel" e quem os usar é só por snobeira saloia, tão própria dos "makakinhos [com k, claro] de imitação" portugueses».
Mas há mais! Uma desgraça nunca vem só porque em Portugal até a desgraça tem medo de andar sozinha e o zé povo é que se lixa!
A partir de 1 de Agosto, deixam de ser comparticipados:
- Os tratamentos de Fisioterapia para "Dores de cotovelo" e "Dores de corno".
- A "Extração da Pedra do Rim e do Fígado" passa a ser considerada actividade industrial extractiva, passando para a alçada da Direcção-Geral de Geologia e Minas. Passa a ter o mesmo regime legal que já é aplicado às pedreiras.
- A "Limpeza dos Dentes" vai ser concessionada pelo Ministério da Saúde a empresas de Limpeza, tipo Euromex, Vadeca... pelo que deixa de ser comparticipada pela Tabela de Odontologia.
Entretanto, o MAQUIAVEL&JB soube de fonte segura que a SIC do "tio" Balsemão está disposta a comprar, a bom preço, as pedras do rim e do fígado para fazer colares "Floribella".

Situações


Olhavam-na com lascívia
Mas o mundo dela era outro.
O tempo lavou-lhe a alma
Secou-lhe as emoções
E ficaram-lhe as marcas
Talhadas em granito.
O olhar resiste
E trazem-me as manhãs
De outrora!

28 julho 2006

O Louvor que ficou pelo caminho

Ao abandonar as funções de Ministro, Freitas do Amaral fartou-se de louvar, com publicação no Diário da República, o pessoal do seu Gabinete. Quem quiser ler as 30 lamechices, é só consultar o jornal oficial.
Mas há um louvor que ficou pelo caminho porque, ao que dizem as más-línguas, o Primeiro-Ministro o travou a tempo.
Como aqui nada nos escapa e gostamos de armar estrondo, vamos divulgar o Louvor que nunca foi, nem será dado à estampa no Diário da República.
Aqui fica para a História mais um contributo do Maquiavel & J.B.. Quem vai ficar com os dentes como ossos vai ser o 24 Horas. E nós ralados com isso!
Gabinete do Ministro
Louvor nº 1169/2006

Louvo Luciana Possani, a minha massagista particular de nacionalidade brasileira, pela forma muito
dedicada, leal, por vezes canina, competente, eficaz, profissional e bem sucedida como exerceu as suas funções nas difíceis e exigentes condições da minha pobre coluna, uma verdadeira prateleira de "bicos-de-papagaio".
Trabalhando sempre para além do horário normal a que estava obrigada, sem nunca ter exigido fosse o que fosse em troca, e tantas vezes também ao fim-de-semana, nunca se furtou a esforços para me endireitar a coluna, e só a coluna, nunca adiou uma massagem para o outro dia, nem nunca fez nada pela metade, e nunca fechou as luzes antes de tudo estar pronto - e perfeito - para o dia seguinte.
Louvo, em particular, as mãos de veludo da Luciana, que nunca mais esquecerei.
Foi, o que se pode chamar, uma massagista modelo.

30 de Junho de 2006 - O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Diogo Pinto de Freitas do Amaral.

21 julho 2006

Pergunta por e-mail


A menina da foto [cujo n.º de telemóvel omito por razões óbvias] depois de ter lido o meu post sobre os vários tipos de rabos, pergunta-me em qual dos tipos considero que encaixa o dela ["encaixa" foi a expressão que usou].
Perante a dúvida, pertinente, cumpre-me esclarecer. Pois, minha rica, o seu "traseiro", segundo os 5 tipos enunciados, encaixa na perfeição no tipo "Maçã". Mas perante esse dom com que a natureza a dotou, eu decidi rever a clássica tipologia e acrescentar mais uma categoria.
Sem qualquer favor, o seu, o seu [porra, até tou a plissar], ora vá, o seu é "Maçã Plus +++". E não me agradeça, porque não estou a ser generoso. Estou simplesmente a ser realista.
Quanto à segunda parte do seu mail, pois responderei pela mesma via, como comprrenderá.

Honestidade

Não falta por aí quem lamente a falta de valores. Asseguro que a menina da foto está ser 100% honesta.

20 julho 2006

O rabo e a auto-estima

Ora a Revista FOCUS publica um interessante artigo sobre a problemática do Verão e dos Rabos e de como estes são determinantes para a auto-estima das mulheres e, porque não?, dos homens.
Bom, esta temática já aqui foi por mim tratada em post anterior. O que, em bom rigor, já não é novidade. Dizia eu, na altura, que umas jeans adequadas eram o melhor remédio para a celulite e sempre mais baratas que qualquer cirurgia estética.
Curioso no artigo/"estudo" da FOCUS é a preferência manifestada pelas mulheres pelo tipo de treseiro, quando recorrem à cirurgia estética - modelo brasileiro ou africano: firmes, redondos e ligeiramente arrebitados. Ora como gostos não se discutem, vá lá saber-se as razões desta "fixação". Mas adiante.
Segundo a FOCUS, os "entendidos" [aspas minhas] definiram cinco tipos de traseiros. Convém esclarecer que eu não entrei no painel dos ditos "entendidos", embora nada me proíba de me pronunciar sobre a matéria em apreço.
Exemplo I:
Forma comum em traseiros pequenos. Falta-lhe simetria. Quem o tem não andará muito feliz. E se querem que o pontue, dou-lhe 12. Nisto sou como o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa.
Exemplo II:
Frequente nas mulheres de raça negra. Bom, escapa! Dou-lhe 14. Nada mau, e não me chamem racista.

Exemplo III:

Bom, aqui a música é outra. Encimado por uma cintura de "vespa", aproxima-se da perfeição plena. Este é o sonho de todas as mulheres. E eu gabo-lhes o bom gosto. Com este, a auto-estima´atinge praticamente o máximo. As mulhres gostam de o passear por todos os cantos e esquinas. Ganham montes de invejosas e criam uma legião de admiradores. Dou-lhe 19.

Exemplo IV:

Falta a cintura e, de resto, parece mais uma arrastadeira. 11 e é um pau. Quem o tiver, o melhor é desfazer-se dele quanto antes.

Exemplo V:

Faltam curvas, é tipo abóbora de Alcochete. Não desperta e muito menos reclama qualquer atenção. Dou-lhe 12 e não digas que vais daqui.

Para concluir, resta-me dizer, com o povo, que nascer com o rabo virado para a Lua costuma dar sorte. Ora, há que acrescentar, depende do rabo.

Será o cúmulo da perfeição?


A pergunta é de difícil resposta. Dizem que faz sucesso e que faz a "banda" parar. Até os deputados trocariam uma futebolada de Portugal no Mundial por uns fugazes 2 minutos da "catraia" a subir o escadório de S. Bento.
Perfeito? Sim, não se pode exigir mais. Aqui temos, na sua mais lídima expressão, o rabo tipo "Maçã", cintura fina, tipo "vespa", perna proporcionada e não excessivamente longa para não cansar a vista dos mirones e com a vantagem "competitiva" de ser de fácil "leitura", podendo-se, sem grande esforço, intuir o quanto mais haverá para além do que a vista nos pode dar e o cérebro imaginar. Um pequeno pormenor a "ensombrar" o aparato. Um pequeníssimo assomo de celulite, que com lupa se pode evidenciar melhor. Há sempre uma "nódoa", por mais pequenina que seja, no melhor "pano".
Mas como não há bela sem senão, há que considerar as graves contra-indicações: Pode provocar gaguez aos desprevenidos, dependência aos felizardos e depressão aos rejeitados. Mas a vida é assim mesmo, é o que é, e nem o meu amigo Bino a sabe definir melhor.
A D. Mimi, a minha vizinha do 3º Dto, lamenta a sociedade fechada, retrógrada e repressiva do seu tempo de menina e moça. Mostrou-me uma fotografia sua de quando tinha 32 anos [hoje tem setenta e muitos]. Deus meu, até suspendi a respiração! Já refeito, dise-lhe com a maior das sinceridades que lhe dava um 18+. E não mais porque o vestido era um pouco menos que uma "burca".
A D. Mimi sorriu comovida e agradeceu. A minha vizinha tem destas coisas lindas.

14 julho 2006

Não se faz!

Nunca perdoou aos pais o facto de, ao nascer, lhe terem dito: "És o bebé mais lindo do mundo!".
Ainda hoje recorda esse dia como o 1 de Abril da sua vida.

Prazer trágico

Apesar de saber que ela tinha contraído Alqaedismo [presença de células da Al Qaeda no corpo], mesmo assim foi com ela prá cama. Resultado, quando ela atingiu o orgasmo, explodiram.
O coitado nem teve tempo de se arrepender. É a vida!

Guloso!!!

Pequenino e mal habituado!

Mas será que será?

Imitar o Zidane ainda se desculpa, mas nunca de joelhos!
Como diria o saudoso relatador de jogos de futebol, Jorge Perestrelo [TSF], "Que é isso, ó meu?"

13 julho 2006

O "saco de banha" do andar de cima


A noite passada, cá o prédio foi sacudido durante largos minutos por um forte tremor de terra. Mais as réplicas, como de costume. O pessoal, em trajes menores [pois claro!], saltou prá rua em pânico.
Apesar de acagaçado e meio a gaguejar lá consegui pedir à D. Mimi, a minha vizinha do 3º Dto, para ligar para o Instituto Nacional de Metereologia e Geofísica que confirmou o "terramoto", com a intensidade de 8 na escala de Ritcher, repito 8!, e com o epicentro localizado no quarto da vizinha do andar de cima.
Como o vídeo amador [agora na moda] do vizinho do prédio ao lado confirmou.

Já pedi a convocação de uma reunião extraordinária e urgente dos condóminos. A continuar assim, temo pela segurança do prédio.
Para já o candeeiro a petróleo que tinha na mesinha-de-cabeceira escaqueirou-se no chão. A caneca das Caldas [o meu artesanato de estimação] que estava no guarda-louça também se desfez em cacos. Vou apresentar queixa na polícia e se não der nada vou até ao Tribunal Constitucional.

11 julho 2006

Pois é... ficaste invejosa?

Este "saco de banha" faz isto durante hora e meia ao levantar, é trapezista no Circo Cardinalli, corre a meia-maratona de Lisboa ao lado do Sócrates e, feito dos feitos, não há um dia que não dê uma aula de substituição numa escola "problemática" da Amadora.
Quem se lixa sou eu. É a minha vizinha do andar de cima!

10 julho 2006

Serei perverso(a)?

Mede a perversidade da tua mente. CLICA AQUI.

Tudo "Na Hora", diz o Governo...

Para felicidade dos portugueses, e graças à Internet, o que é que que não haverá "na hora"?
Depois da empresa "na hora", temos o despedimento "na hora", o desemprego "na hora", o subsídio de desemprego na "hora do diabo", etc. e tal.
A cunha "na hora" já está e o casamento "na hora" vai ser mais fácil que o divórcio "na hora".
Um gajo "na hora" pode demorar uns minutos, uma gaja "na hora" uns segundos.
Mas há mais...
Uma criança "na hora" pode levar uns minutos, salvo se usar preservativo ou a pílula do dia seguinte, para não ser exaustivo quanto a outros meios disponíveis também "na hora".
"Na hora" já tínhamos as rapidinhas, como os coelhos!
Faltar-nos-á o Governo "na hora". Paciência! Também não se pode ter tudo, né?

06 julho 2006

Bate, bate...

Disse-me a D. Mimi que estes nossos vizinhos do 8º Esq não gostam de desportos maricas. E tem razão.
Consta até que quem desafiou foi ele: "Bate mas é no c******!", e ela não se fez rogada. Ao que parece, o bacano gostou e todos os dias temos festa!
Ou será uma nova versão de preliminares?

Reescrever o processo reprodutivo das cenouras



Julgava eu, que sou crente, que se lançavam as sementes à terra, regava-se, elas germinavam e daí vinham as cenourinhas...
Tal e qual, como acreditei na história das cegonhas...
Afinal, tudo uma treta!

03 julho 2006

Até se me arrepiou a espinha


Evite os acidentes. Ponha sempre a "baby sitter" a segurar o pirilau do puto.

Reforma da Administração Pública (I)

O Governo vai deslocalizar um conjunto de serviços públicos para Marrocos, Gabão e Madeira.
Segundo fonte insuspeita a produção dos mesmos ficará muito mais barata, devido aos baixos salários lá praticados. Por exemplo, o "produto" mais produzido pelas repartições públicas "Tem de aguardar, venha cá prá semana", custará qualquer coisa como 20 vezes menos e o Governo espera ganhos que permitirão atingir o défice 0 (zero) já em 2007.
Segundo fonte do Ministério das Finanças, o único serviço que não será deslocalizado são as Tesourarias da Fazenda Pública.
Percebe-se, né?